Notícias

Assinatura Convênio entre BID, Prefeitura de Campinas e Unicamp para a elaboração do master plan do HIDS

Dia 11/03/2020, às 16h, Palácio dos Bandeirantes/SP.

No dia 11 de março de 2020, às 16h, no Palácio dos Bandeirantes (Salão Anchieta), o reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, o prefeito de Campinas, Jonas Donizetti, o vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, e o representante do BID no Brasil, Morgan Doyle, vão assinar o Convênio de Cooperação com Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para apoiar a criação do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) na cidade de Campinas. A assinatura vai acontecer na presença dos representantes do Conselho Consultivo Fundador do HIDS e da Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen.

Por meio desse convênio o BID vai investir o valor total de US$ 1 milhão, a fundo perdido, para a elaboração de um plano diretor (master plan) que vai orientar a ocupação e o desenvolvimento de uma área de 11,3 milhões de m2, em Campinas, incluindo o campus atual da Unicamp em Barão Geraldo, a PUC-Campinas e toda a área do Ciatec II, Polo de Desenvolvimento Tecnológico, área reservada pela Prefeitura de Campinas no início dos anos 1980 para a instalação de empresas e instituições de ciência e tecnologia, com localização estratégica, próxima às rodovias Campinas-Mogi-Mirim, D. Pedro e do complexo Anhanguera-Bandeirantes e vizinha do campus da Unicamp, no Distrito de Barão Geraldo. Hoje estão localizadas no Ciatec II várias instituições e empresas dedicadas à pesquisa e à inovação.

O HIDS recupera parte das premissas vigentes na criação do polo de ciência e tecnologia em Campinas, mas vai além de tentar alavancar a vocação para ciência e tecnologia da região. Seu objetivo é criar um distrito modelo de desenvolvimento urbano sustentável e inteligente na forma de um laboratório vivo. A ocupação dessa área é uma oportunidade de explorar iniciativas para promover atender e incentivar a Agenda 2030, da ONU, com seus 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), um compromisso assinado por 193 países, incluindo o Brasil.

Laboratório Vivo (ou living lab) é uma metodologia, sistema ou abordagem de inovação baseado em parcerias público-privadas em que empresas, poder público e a comunidade trabalham em conjunto para criar, prototipar, validar e testar novos serviços, negócios, mercados e tecnologias no contexto da vida real. Pode ser aplicado em escalas de cidades, regionalidades, áreas rurais ou em redes colaborativas virtuais, agregando diferentes experimentos para modos de vida sustentáveis. Universidades têm participado de laboratórios-vivos, laboratórios vivos urbanos, projetos de “reforma urbana” e “ciência cidadã”, abordagens que têm em comum a participação de agentes sociais e foco na produção de soluções e de conhecimento para um local geográfico específico, integrando diferentes formas de conhecimentos e saberes da sociedade (Niitamo et al, 2010; Zen, 2017; Trencher et al, 2017; Konig&Evans, 2013).

História – Em 2013, a Unicamp adquiriu a Fazenda Argentina, uma área com 1,4 milhão de m2, contígua ao campus da Universidade, no Distrito de Barão Geraldo, em Campinas. Em sua origem, o HIDS foi imaginado como uma estrutura a ser criada na Fazenda Argentina e integrada de modo harmônico aos campi da Unicamp, combinando e articulando ações, através de parcerias e cooperações entre instituições que possuem competências e interesses voltados a prover contribuições concretas para o desenvolvimento sustentável em sua forma mais abrangente. Com a evolução das atividades de prospecção de atividades que poderiam ser desenvolvidas no HIDS, tornou-se evidente a sinergia e a oportunidade desta iniciativa com a vocação dos diversos atores que compõem a região do Ciatec II – o Polo de Alta Tecnologia situado em uma área de 8,8 milhões de metros quadrados –, no qual parte da Unicamp se encontra. A região do Ciatec II é identificada como Polo Estratégico de Desenvolvimento do município de Campinas. Nessa região estão presentes empresas e instituições de pesquisa de ponta, como o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Material (CNPEM), que abriga entre o outros o Sirius, maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no País e uma das primeiras fontes de luz síncrotron de 4ª geração do mundo.

A missão do HIDS é contribuir para o processo do desenvolvimento sustentável, agregando esforços nacionais e internacionais para produzir conhecimento, tecnologias inovadoras e educação das futuras gerações, mitigando e superando as fragilidades sociais, econômicas e ambientais da sociedade contemporânea.

Assim todas as atividades e o desenvolvimento urbano do HIDS devem ter como pano de fundo a preservação e conservação do meio ambiente e podendo, entre outros exemplos: estabelecer uso misto do solo (com residências, serviços e empresas), promover coleta, tratamento e reciclagem de resíduos sólidos, o uso racional da água, utilizar energia limpa e de modo eficiente, desenvolver e utilizar tecnologias e modelos de negócios inovadores como a Internet das Coisas (IoT), utilizar veículos autônomos, economia circular e compartilhada, garantir a emissão líquida zero de gases causadores do efeito estufa, propor novas soluções para a habitação e com acesso às amenidades de uma cidade do futuro.

Conselho Consultivo Fundador – A criação do HIDS requer um planejamento baseado em uma abordagem participativa. Buscando atender à essa premissa, foi criado o Conselho Consultivo Fundador do HIDS, uma instância consultiva à qual todas as decisões sobre o HIDS serão submetidas para discussão e conhecimento, com objetivo de contribuir na definição das atividades que poderão integrar o HIDS e nortear seu planejamento e a construção de sua governança.

O Conselho agrega 15 instituições: a Prefeitura Municipal de Campinas, o Governo do Estado de São Paulo, Unicamp, PUC-Campinas, Facamp, CNPEM, Embrapa, CPQD, TRB Pharma, Cargill, Cariba Empreendimentos e Participações, Instituto Eldorado, Sabis Internacional, todas presentes na área de planejamento e ainda a CPFL e a Sanasa. Visando fortalecer esse compromisso, as instituições do Conselho estão elaborando um “Convênio para a criação do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável de Campinas (HIDS)”, no qual afirmam seu interesse em apoiar e contribuir para o planejamento e implementação do HIDS. Esse convênio deve favorecer o estabelecimento de parcerias de pesquisa e desenvolvimento na forma de laboratórios vivos em várias áreas.

O resultado esperado desse convênio é estabelecer, em Campinas, um modelo de desenvolvimento regional que estimule o desenvolvimento inovador e sustentável, posicionando a cidade como um centro de inovação líder na América Latina, integrando ciência e tecnologia à consecução dos ODS. Trata-se de um projeto que aposta na interação virtuosa entre instituições de ensino e pesquisa, empresas e poder público para entregar um novo modelo de planejamento para a cidade, comprometido com os desafios do desenvolvimento sustentável e com a qualidade de vida das pessoas.

Conselho Consultivo Fundador do HIDS – Representantes
1.       CNPEM – Antonio José Roque da Silva (Diretor Geral)
2.       Embrapa – Silvia Massruhá (Diretora)
3.       Facamp – Rodrigo Sabbatini (diretor)
4.       PUC-Campinas – Germano Rigacci Junior (Reitor)
5.       Unicamp – Marcelo Knobel (Reitor)
6.       Cargill – Carlos Prax (Diretor)
7.       Cariba Empreendimentos e Participações – Franklin Gindler (Presidente)
8.       CPQD – Júlio Martorano (Assessor Executivo)
9.       Instituto ELDORADO – Roberto Soboll (Superintendente)
10.   Sabis Internacional – José Ricardo Farah Nassif (Diretor)
11.   TRB Pharma – Paulo Roberto Dallari Soares (Vice-Presidente)
12.   CPFL – Renato Povia Silva (Gerente de Inovação)
13.   Sanasa – Arly de Lara Romeo (Presidente)
14.   Prefeitura Municipal de Campinas – Jonas Donizetti (Prefeito)
15.   Governo do Estado de S.Paulo – Patricia Ellen (Secretária de Desenvolvimento)
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.