Notícias

Grão-chanceler da PUC-Campinas conhece o projeto HIDS

Na manhã do dia 16 de julho, o reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Marcelo Knobel, e o professor Marco Aurelio Pinheiro Lima, apresentaram para o Arcebispo Metropolitano de Campinas e Grão-Chanceler da PUC-Campinas, Dom João Inácio Muller, o projeto que visa a criação do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS). O objetivo do HIDS é ser um distrito modelo de desenvolvimento urbano, inteligente e sustentável, na forma de um complexo de laboratórios vivos, que visa a integração de tecnologias disruptivas com o cumprimento dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização nas Nações Unidas (ONU).

O Reitor da PUC-Campinas, Germano Rigacci Junior, o Prof. Dr. Pe. José Benedito de Almeida David, Vice-Reitor da PUC-Campinas, a Profa. Dra. Alessandra Borin Nogueira, Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, e o Prof. Dr. Nicolas Spogis, Coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica e docente da Faculdade de Engenharia Química da PUC-Campinas, também estavam presentes na reunião.

Inicialmente a ideia de criar esse HUB sustentável e inteligente estava restrita à Fazenda Argentina, área contígua ao campus da Unicamp em Barão Geraldo, adquirida por essa Universidade em 2013. No entanto, a partir da participação da PUC e da Prefeitura de Campinas, o projeto evoluiu e o território que poderá ser ocupado pelo Hub se expandiu, passando a englobar os campi da PUC e da Unicamp e toda a região do Ciatec II, Polo de Desenvolvimento Tecnológico, totalizando 11,3 milhões de m2. O Ciatec II é uma área reservada pela Prefeitura de Campinas no início dos anos 1980 para a instalação de empresas e instituições de ciência e tecnologia, com localização estratégica, próxima às rodovias Campinas-Mogi-Mirim e D. Pedro.

Sustentabilidade – Já há alguns a PUC tem investido para tornar seus campi sustentáveis por meio de projetos em áreas como energia, água e resíduos, mobilidade, segurança e tecnologia da informação e comunicação. Em 2019, a PUC-Campinas ficou em vigésimo lugar no Brasil, em sexto lugar entre as universidades privadas do país e foi a melhor universidade privada do Estado de São Paulo no ranking internacional UI GreenMetric World University Ranking, que avalia as universidades mais sustentáveis ecologicamente. “Desde o início nós entendemos a relevância desse projeto porque a despeito dele ser importante para a PUC, ele transcende a Universidade e tem impacto na cidade de Campinas”, disse o Reitor Germano Rigacci Junior. “Eu acredito que poderá contribuir para recuperar a identidade de Campinas como produtora de conhecimento e inovação no Brasil e no mundo”, completou.

Desde o início das atividades de planejamento do HIDS, a PUC-Campinas tem destacado professores, pesquisadores e alunos das áreas de Arquitetura, Direito, Sustentabilidade e Meio Ambiente para atuar no projeto. A primeira entrega do projeto foi feita pela equipe responsável por elaborar um modelo jurídico para o HIDS, coordenada pelo professor da Faculdade de Direito Josué Mastrodi. Essa equipe elaborou o Convênio para a Criação do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) de Campinas. O Convênio é um acordo guarda-chuva (sem investimentos e custos financeiros) entre as 14 instituições que formam o Conselho Consultivo do HIDS, podendo abrigar acordos bilaterais, trilaterais ou multilaterais entre elas. A assinatura desse Convênio, que aconteceu em cerimônia no dia 01 de julho, formaliza a existência do HIDS. “Para a PUC esse envolvimento tem sido uma oportunidade de pensar a cidade, de renovar nosso olhar para o processo de crescimento e urbanização a partir da dimensão da preservação do meio ambiente”, afirmou o reitor. “Isso vem ao encontro com nossa crença de valorizar o ser humano e os elementos que nos ajudam a ter uma vida com qualidade”, disse Dom João Inácio Muller.

Bem-viver – Para consolidar esse plano, o HIDS tem sido pensado como um complexo de laboratórios vivos. Um laboratório vivo é baseado em um conceito de inovação aberta e cocriação, integrando processos de pesquisa e inovação dentro de um contexto de parcerias público-privadas e operando em ambientes/territórios e comunidades de “vida real”. Esses laboratórios serão desenvolvidos inicialmente por meio de parcerias entre as instituições do Conselho Consultivo em torno de temas específicos como energia, água, mobilidade, tecnologias de monitoramento, entre outros. Já presente nas equipes de planejamento, a PUC deve engajar professores e pesquisadores das áreas de medicina, nutrição e direitos humanos. “A PUC tem uma linha de pesquisa totalmente dedicada ao tema dos direitos humanos com uma produção significativa que poderá contribuir com esse laboratório vivo”, lembrou o professor Germano.

Outro laboratório multidisciplinar que está sendo idealizado será totalmente dedicado a prevenção e monitoramento da saúde e do bem-estar das pessoas. Dom João demonstrou especial interesse por esse projeto: “Eu acredito que é fundamental investir em projetos que tenham como objetivo a prevenção de doenças, a saúde o cuidado com as pessoas”, afirmou. Ele sugeriu que esse seja um laboratório do bem-viver.

Dom João Inácio Müller foi nomeado Arcebispo Metropolitano de Campinas em 2019. Natural do Rio Grande do Sul, ele estudo filosofia na Faculdade Imaculada Conceição, na cidade de Viamão, na Arquidiocese de Porto Alegre e teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e no Studium Theologicu em Jerusalém.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.