Notícias

Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável – HIDS

Unicamp planeja criar um hub na área de sustentabilidade. BID vai financiar plano para ocupação da área da Fazenda Argentina e Ciatec

Por Patricia Mariuzzo

Contribuir para o processo do desenvolvimento sustentável, agregando esforços nacionais e internacionais para produzir conhecimento, tecnologias inovadoras e educação das futuras gerações, mitigando e superando as fragilidades sociais, econômicas e ambientais da sociedade contemporânea, esse é o conceito por trás do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável – HIDS, projeto que está em estudo na Unicamp sob a coordenação da Diretoria Executiva de Planejamento Integrado (DEPI). “A ideia de criar um hub partiu da necessidade de pensar propostas de desenvolvimento sustentável na universidade alinhadas com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, da Organização das Nações Unidas (ONU). Essas propostas, no entanto, poderão transbordar para a comunidade do entorno e para a cidade de Campinas”, afirma Marco Aurélio Pinheiro Lima, professor do Departamento de Eletrônica Quântica, do Instituto de Física da Unicamp e diretor executivo da DEPI.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi lançada pela ONU em setembro de 2015 durante a Cúpula de Desenvolvimento Sustentável, que aconteceu em sua sede em Nova York. O documento reflete os novos desafios de desenvolvimento e está ligada ao resultado da Rio+20 – a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável – que foi realizada em junho de 2012 no Rio de Janeiro.

Em 2013, a Unicamp adquiriu a Fazenda Argentina, uma área com 1,4 milhão de m2, ao lado do campus de Campinas. “A Fazenda poderia ser um greenfield, um espaço de prospecção de futuro no sentido explorar iniciativas e fortalecer agendas tecnológicas brasileiras que promovam o desenvolvimento sustentável e equitativo”, complementa Lima. “O hub será um célula inovadora e irradiadora de conhecimento para promover, juntamente com a cidade de Campinas, a criação de um distrito modelo, quem sabe a semente de uma smart city, com impacto local e regional”, disse Marcelo Pereira Cunha, professor do Instituto de Economia da Unicamp e assessor da DEPI. Conforme está descrito em artigo conceitual sobre o HIDS, esse hub tem características em comum com os parques científicos e tecnológicos, ecossistemas de inovação e clusters de inovação, além da integração e inovação voltadas a redes e políticas públicas de educação, saúde, arte e cultura.

Construindo o novo – A estratégia para criação do HIDS prevê parcerias com instituições nacionais e internacionais, unindo vários centros de conhecimento envolvidos em projetos de sustentabilidade. “As parcerias, especialmente as conexões internacionais, podem garantir maior estabilidade para o hub”, acredita Lima. Segundo ele, o diálogo com a prefeitura da cidade de Campinas e com proprietários de áreas no entorno da Fazenda Argentina já estão adiantados. Além disso, a Unicamp e a PUC Campinas, que tem um campus ao lado da Fazenda Argentina, estão criando um grupo de trabalho com objetivo de pensar práticas sustentáveis nas duas universidades. “A ideia é alinhar os objetivos de todos esses atores, promovendo uma sinergia que resulte no desenvolvimento e na inovação, de modo a contribuir de maneira efetiva com o desenvolvimento da cidade e do Estado de São Paulo”, afirmou o diretor da Depi.

Outra parceria fundamental já concretizada é com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Interessado em projetos alinhados com a Agenda do Desenvolvimento Sustentável, o Banco vai patrocinar um concurso, a ser lançado em 2019, convidando escolas de arquitetura de toda a América Latina a elaborarem um plano de ocupação inicial de um território – master plan – que vai contemplar não somente a Fazenda Argentina, mas também a região hoje ocupada pelo Ciatec (Companhia de Desenvolvimento do Polo de Alta Tecnologia de Campinas). A ideia é que este master plan fomente a criação de um bairro sustentável modelo, com tecnologias digitais em áreas como transporte, energia, água e com a inclusão de empresas de base tecnológica disruptiva. Segundo Vanderleia Radaelli, da Divisão de Competitividade, Tecnologia e Inovação do BID, serão disponibilizados entre US$ 500 e 700 mil para ajudar na elaboração do plano. “Trata-se de uma estratégia do BID que responde a uma demanda de cidades que estão investindo em projetos de transformação digital”, afirmou.

 O futuro da cidade – A área onde está inserida a Fazenda Argentina está localizada em um dos Polos Estratégicos de Desenvolvimento definido pelo Plano Diretor Municipal, 2018. “Essa é uma região com alto grau de densidade tecnológica. Nossa intenção é que ela possa se desenvolver dentro de uma visão moderna que contempla usos múltiplos (serviços, moradia, indústria)”, explicou o Secretário de desenvolvimento econômico, social e turismo, André von Zuben. De acordo com ele, para amparar juridicamente esse formato a prefeitura está preparando uma lei de zoneamento específica para a região cujo texto será enviado em janeiro de 2019 para a Câmara de Vereadores. “Nossa intenção é motivar empresários a ocupar aquela região dentro desse modelo sustentável para que ela evolua para ser uma referência na região e no Brasil em termos de sustentabilidade de cidades inteligentes”, disse.

Para saber mais sobre o HIDS leia o artigo conceitual Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável – HIDS.

Fonte: http://portalcampinasinovadora.com.br/2018/11/hub-internacional-para-o-desenvolvimento-sustentavel-hids/

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.