Notícias

Propostas do NIPE para o HIDS

O Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Estratégico da Unicamp, NIPE, foi um centros de pesquisa da Universidade que encaminhou sugestões para o conteúdo do HIDS. De acordo com o professor da Faculdade de Engenharia Química (FEQ) e coordenador do NIPE, Gustavo Paim Valença, o objetivo da proposta é apresentar um planejamento sobre o uso racional de energia que inclui produção, captação de água, transporte público e código construtivo.

Dando continuidade à parceria da Unicamp com a CPFL no projeto da instalação de placas fotovoltaicas para produção de energia elétrica, o NIPE propôs estender o número de placas em prédios antigos do campus e projetar os novos prédios do HIDS incluindo o uso dessas placas. Além disso, foi sugerido explorar outras possibilidades de uso de energia solar na geração de energia: “Dentre elas destacamos o uso de filmes em janelas e painéis de vidro e a sua integração com os sistemas de consumo de energia buscando um consumo mais racional, naquilo que se convencionou chamar prédios inteligentes”, escreveu Valença na proposta encaminhada à Depi. Ainda segundo ele, há vários aspectos da energia produzida por células fotovoltaicas que podem ser aperfeiçoados: aumento da eficiência da captação de energia solar, produção de células fotovoltaicas a preços competitivos, armazenamento da energia captada durante o dia para o uso na ausência de luz. “Essas questões devem atrair a atenção de pesquisadores da Unicamp no sentido de produzir conhecimento de fronteira em torno desses desafios tecnológicos”, afirmou o pesquisador do Nipe.

Outra sugestão que poderia ser incorporada ao HIDS é a geração de energia por meio da incineração de lixo. A sugestão tem por base a experiência da Unicamp no desenvolvimento de incineradores de alta eficiência. “Essa iniciativa contempla não somente a geração de energia, mas também a disposição de resíduos sólidos”, lembrou Valença. Essa proposta vai ao encontro da Lei 12.305/10 que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos que determinou, entre outras metas, a eliminação de lixões e a criação de planos de gestão integrada de resíduos sólidos também em nível municipal.

Parcerias – A proposta do Nipe indica a importância de estabelecer parcerias com o setor privado para ampliar o alcance de projetos inovadores na área de energia. Um exemplo seria utilizar combustíveis derivados de biomassa em veículos que transitem em uma área demarcada. “Esse modelo poderia incluir o uso de novas tecnologias de motores, não somente de carros totalmente elétricos, mas também aqueles que usem pilhas a combustível que usem combustíveis de origem renovável. Essa tecnologia já está em desenvolvimento, por exemplo, pela Nissan, empresa japonesa que já demonstrou interesse em desenvolver automóveis que usem etanol como combustível de pilhas a combustível”, explicou Valença. Na opinião dele, as parcerias para o desenvolvimento de plataformas de produção de energia devem ser estimuladas tanto com grandes empresas como com startups que tenham projetos disruptivos. “O HIDS deve ser um laboratório a céu aberto onde tecnologias disruptivas possam ser testadas e implementadas. O Nipe, com sua experiência em planejamento energético poderia contribuir na área de gerenciamento, desenvolvimento, instalação e testes, integrando diversas unidades de ensino e pesquisa da Unicamp como a FEM, FEEC, FEQ, Feagri, FEC e FEA”, finalizou.

Para conhecer a proposta do Nipe para o HIDS, clique aqui.

 

 

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.