Notícias

Ampliando as conexões do Brasil com a China

O Instituto Sociocultural Brasil-China (Ibrachina) tem como missão fortalecer a integração entre os povos do Brasil e da China, consolidando as raízes chinesas no Brasil e disseminando a cultura brasileira na China. Temos como missão estreitar os vínculos entre as nações e contribuir para o desenvolvimento sociocultural em ambos os países. Para isso, o Instituto organiza missões e intercâmbios entre os dois países. Uma das viagens mais recentes aconteceu no mês de novembro e contou com a participação do professor da FCM-Unicamp, Li Li Min, que também é coordenador de inovação do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Ibrachina Ibrawork, recém-instalado no Parque Tecnológico da Unicamp.

Além do professor da Unicamp, participaram da comitiva Thomas Law, presidente do Ibrachina, Rodrigo Moura, diretor do ZIBS para América Latina e diretor de Relações Internacionais do Ibrachina; a professora Sophie Xiaoshu Zhu, diretora do Instituto Confúcio da FAAP e o ex-ministro Ricardo Berzoini.

A agenda contou com visitas a empresas, universidades e instituições governamentais. O grupo visitou a sede do Alibaba, uma das principais empresas de e-commerce do mundo e que desempenha um papel importante na economia chinesa e os escritórios da Embraer na China. Terceira maior fabricante de jatos comerciais do mundo, a Embraer tem uma joint venture na China. Segundo informações publicadas no site da Ibrachina, este ano, a Embraer obteve a certificação de tipo da CAAC (Administração de Aviação Civil da China) para sua aeronave comercial E195-E2, o maior da família E-Jet. Isso permitirá que as companhias aéreas chinesas operem jatos fabricados pela companhia brasileira.

Também foram realizadas visitas ao Banco da Infraestrutura da Asia, que tem como um dos focos investimentos em sustentabilidade, e à sede do Banco dos Brics, em Shangai. Entre as universidades, a comitiva brasileira esteve na Universidade Tongji e na ZheJiang International Business School (ZIBS).  “O espírito de network e colaboração estavam muito presentes em todas essas atividades, pois o Brasil é considerado um parceiro estratégico da China”, contou Li Li Min.

A presidente do Banco do Brics, Dilma Roussef, recebeu a comitiva da Ibrachina na sede do Banco em Shangai.

Um dos pontos altos da visita à China foi a assinatura do termo de cooperação entre o Parque Tecnológico da Universidade de Zhejiang em Hanzhou com o Ibrachina. “Essa parceria, que conecta o CPDI Ibrachina/Ibrawork, tem potencial de amplificar a rede para outros pontos do ecossistema de inovação na Unicamp, que inclui o Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) e de toda a Região Metropolitana de Campinas”, destacou o professor da Unicamp. Segundo ele, durante a cerimônia de assinatura foram discutidos potenciais projetos de interesse mútuo, como o manejo de resíduos sólidos e hidrogênio verde.

Além do Parque Tecnológico da Universidade de Zhejiang, a comitiva também conheceu o Parque Científico e Tecnológico Mingyue Lake, em Chongqing. “Instalada em uma área de 30 km², este parque segue o conceito de uma cidade com múltiplos parques tecnológicos e dotada de uma política de incentivo à instalação de startups”, pontuou o coordenador de inovação da Ibrachina. Em 2024 comemora-se os 50 anos de relações diplomáticas entre Brasil e China. “É um ano com potencial de ampliar a conexão com outros hubs de inovação na China para transformar ciências em produtos comerciais de sucesso”, finalizou Li Li Min.

Na foto da capa: Li Li Min, professor da FCM/Unicamp e coordenador de Inovação do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (CPDI) Ibrachina/Ibrawork na Unicamp; Rodrigo Moura, diretor de Relações Internacionais do Ibrachina; Ricardo Berzoini, consultor do Ibrachina; Thomas Law, presidente do Instituto e fundador do Ibrawork e CPDI; Liu Yan, CEO do Science Park of Zhejiang University e Lou Runzheng, vice-diretor do Zhejiang University Holding Group.